Despedida da India e viagem de volta ao Ocidente

No dia 29/01/2011 chegamos em Delhi, depois de ter passado a noite viajando de ônibus desde Pushkar. Tinha acabado de amanhecer e o ônibus nos deixou próximo da Old Delhi Train Station. Pegamos então um rickshaw, que nos levou até Main Bazaar Street, onde há uma enorme concentração de hotéis básicos. Nos instalamos em um hotel e descansamos um pouco da longa viagem. Era nosso último dia na India. E também nosso último dia na Asia. Apesar do cansaço físico, aproveitamos para passear um pouco, caminhando pelas ruas.

De noite, por volta das 23:00, pegamos um taxi até o aeroporto, com uma boa margem de segurança no horário, pois nosso vôo era somente às 4:00. Mas queríamos evitar problemas, já que na India é comum haver imprevistos. No entanto, felizmente deu tudo certo. Tivemos apenas um pouco de dificuldade para entrar no aeroporto, pois não havíamos imprimido nossos bilhetes e os indianos só deixam entrar no aeroporto quem está com a passagem em mão. Pequeno stress básico... Mas depois falar com vários guardas da segurança do aeroporto, um deles aceitou que mostrássemos os bilhetes eletrônicos na tela do nosso laptop. Finalmente entramos. Fizemos o check-in e ficamos esperando o horário do nosso vôo, lutando contra o sono.

Assim, por volta das 4:00 da madrugada de 30/01 deixamos a India e embarcamos rumo à Moscou. E em Moscou trocamos de avião e pegamos um vôo para Barcelona, onde chegamos no início da tarde. Havíamos passado 1 ano e 2 meses viajando pela Asia. E agora estávamos de volta no Ocidente. Parecia que vínhamos de outro mundo. Chegar em Barcelona nos trazia a sensação de estar chegando “em casa”, embora Barcelona agora já não fosse mais a nossa casa. Mas a cidade ainda nos era bastante familiar, por já termos vivido aí. E era boa a sensação de estar chegando em um lugar conhecido.

No entanto, ainda continuávamos nômades, sem lar. Nos próximos dois meses íamos continuar viajando: Primeiro com minha família, pela Espanha, França e Itália; e depois com a família da Deise, pela Espanha e Marrocos. Portanto, a jornada continua!


Algumas recordações da India: Adoramos o suco de manga Maaza.


Algumas recordações da India: A sujeira. Este balde de lixo estava no corredor do nosso hotel, em Delhi. Os indianos tem o hábito de mascar fumo e cuspir. Eles tentam cuspir no balde de lixo, mas erram a pontaria e acertam na parede. E a parede fica neste estado lamentável.


No aeroporto de Delhi


No aeroporto de Moscou

Um comentário:

  1. Even should you don’t know exactly what a spirograph is, there’s a great probability that you’ve played with as soon as} if you were a kid. Fingerprint Door Lock This spirograph consists of two interlocking parts, with one have the ability to|you presumably can} rotate inside the other to draw interesting geometric shapes and repeating patterns. You can try out tons of of combos of the several of} drawing holes on this spirograph, so you’ll probably have hours of enjoyable with it.

    ResponderExcluir